Notificações

 
 
Análise – Ligas dão estabilidade às equipas?
 

Autor: Marcelo Silva

Data: 12 Junho 2019 22:00

 
 

Neste artigo iremos analisar uma questão que tem sido dada como justificativa para a existência de ligas em Portugal desde o início, que é o facto de que, em teoria, estas dão estabilidade às equipas nelas participantes.

Para analisarmos esta questão iremos recorrer a dados dos Defining Stars relativamente à principal liga portuguesa, a Master League Portugal, que recentemente viu o fim da fase regular da sua terceira temporada. Já são cerca de dois anos com ligas em Portugal e portanto é altura de respondermos à pergunta “As ligas dão estabilidade?”.

Para os efeitos deste artigo consideramos como “alteração” uma saída da equipa, pelo que as entradas não são consideradas, uma vez que se assume que todas as equipas iniciaram a liga com pelo menos 5 jogadores e as saídas são apenas relativas a jogadores do line-up ativo.

As fases regulares de cada uma das três temporadas da Master League Portugal tiveram a seguinte duração (em dias):

  1. 39 dias
  2. 48 dias
  3. 46 dias


Master League Portugal S1

A primeira temporada da Master League Portugal foi ao mesmo tempo a transição da LPGO para a MLP, depois de a totalidade da staff da LPGO ter passado para a MLP. O apuramento foi feito em duas fases, uma aberta e outra fechada, sendo que o qualificador fechado teve um total de 16 equipas, das quais 6 foram convidadas (equipas que se mantiveram da liga anterior), e as outras 10 foram apuradas através de três qualificadores abertos.

Esta, que foi oficialmente a primeira temporada da liga, teve um total de 8 equipas a disputar a fase regular, tendo apenas 4 delas prosseguido para a fase final LAN.

Dessas 8 equipas apenas 4 fizeram alterações nos seus quintetos durante a fase regular e o total de alterações realizadas por essas equipas nesta primeira temporada foi 8.

As duas equipas com mais alterações foram os “Defining Stars” e “Team HD” que tiveram ambas três alterações, sendo que nenhuma das duas aguentou mais do que 10 dias sem sofrer alterações, num total de 39 dias de liga.

A primeira alteração feita na fase regular aconteceu dois dias apos a mesma começar, com a saída de driftking dos Giants Gaming.

No geral esta primeira temporada foi bastante mexida, não apenas na questão de alterações propriamente ditas mas também no que toca ao uso de standins, não tendo havido grande estabilidade.

O tempo máximo sem alterações, das equipas que as sofreram, foi de 19 dias por parte dos Panthers.

A tabela que se segue tem os dados para uma análise mais detalhada para quem assim pretender (A Data/Altura é medida em dias após o começo da liga):

Equipa

Jogador

Altura/Data

  Panthers

emp

19

  Defining Stars

MKW

4

  Defining Stars

NOPEEj

6

  Defining Stars

vastik

15

  Team HD

shellzy

6

  Team HD

million

15

  Team HD

vastik

25

  Vodafone Giants

drifking

2


 

Master League Portugal S2

Igualmente composta por 8 equipas e a decorrer durante a segunda metade do ano 2018, a 2ª temporada da Master League Portugal serviu de continuação à prova e manteve em competição 6 organizações da temporada anterior apurando apenas 2 novas por via de qualificador. O qualificador fechado, que apurou as duas equipas, juntou as 2 últimas classificadas da temporada 1 com 4 equipas apuradas através de qualificadores abertos.

Da primeira para a segunda temporada, das organizações que se mantiveram na liga (6), houve um total de três cujo seu core alterou, sendo que as outras 3 conseguiram manter o core entre temporadas. Das três que alteraram, os Team HD adquiriram um line-up completamente novo, enquanto que os OFFSET mantiveram dois jogadores (zlynx e JUST) e os Giants apresentaram a “super-equipa portuguesa”, mantendo KillDream e rmn nos quadros.

Nesta temporada houve um total de 10 alterações, que foram feitas por 3 equipas, no entanto 5 delas (todas feitas pela mesma equipa) são consideradas como dados praticamente irrelevantes, uma vez que ocorreram no último dia da fase regular. 47 dias após o começo da liga, ou seja, um dia antes do fim da fase regular, os ASP viram a saída do quinteto que mantinham desde a primeira temporada depois destes terem decidido seguir caminhos diferentes.

As restantes cinco alterações foram feitas pelos Panthers (2) e Team HD (3) também já depois de ter decorrido a primeira parte da liga, tendo inclusive 3 delas sido realizadas na última semana da liga.

A primeira alteração ocorreu apenas 35 dias após o arranque da liga e o tempo máximo sem alterações foi de 9 dias.

No geral pode-se considerar que esta temporada foi mais estável que a primeira, uma vez que todas as transferências se concentraram na reta final da fase regular.

Equipa

Jogador

Altura/Data

  Panthers

xAims

38

  Panthers

NABOWOW

47

  ASP

vts

47

  ASP

dixon

47

  ASP

SOULZOOR

47

  ASP

SYON

47

  ASP

k0mpa

47

  Team HD

sark

35

  Team HD

tiskeN

44

  Team HD

gax

45


Master League Portugal S3

Com o mesmo formato de descidas/manutenção da temporada anterior, a temporada três da Master League Portugal viu a retirada dos Panthers do cenário competitivo de CS:GO português e a transferência do seu slot para a XF Iberia, bem como os jogadores.

Distando cerca de 5 meses do fim da edição anterior, das 5 organizações que se mantiveram de uma temporada para a outra a maioria manteve o seu core, tendo apenas uma das organizações realizado alterações. Antes do começo da temporada, os EGN já tinham anunciado a contratação de um line-up inteiramente novo. Quanto às restantes organizações, os K1CK mantiveram por completo o seu line-up (sendo inclusive um dos line-ups/cores que se tem mantido mais tempo junto), enquanto que as outras fizeram pequenas alterações, com os OFFSET a irem buscar novamente a dupla pr e stadodo para a sua equipa de CS:GO.

Ao nível de alterações, esta temporada poderia ter sido um “record” com 0 alterações, no entanto, a faltarem 15 dias para o fim da temporada o quinteto que representava os EGN viu que o projeto não estava a resultar e resolveu seguir caminhos distintos, tendo a organização dos EGN contratado um line-up completamente novo. Assim a organização sofreu uma penalização por parte da liga, uma vez que inscreveu mais do que 10 jogadores, limite permitido pelo regulamento da competição organizada pela E2Tech.

De resto não houve mais nenhuma durante toda a liga.

Ou seja, no geral, na última temporada da MLP houve apenas uma equipa com alterações, com a primeira dessas a acontecer 10 dias depois do começo e as restantes apenas 31 dias após o começo da liga. Em comparação às restantes temporadas, esta última pareceu, tirando a excepção, ter uma maior estabilidade.

Equipa

Jogador

Altura/Data

  EGN

SYON

10

  EGN

JAEPE

31

  EGN

renatoohaxx

31

  EGN

krush

31

  EGN

HIDDENj

31



Analisando o panorama geral podemos ver que o número de equipas que sofreu alterações diminuiu bastante entre temporadas, a terminar apenas com uma equipa a sofrer alterações na MLP S3. Isto é um bom sinal e mostra-nos que as equipas já se estão a conseguir comprometer a manter o mesmo núcleo durante toda a duração da competição.


Figura 1. Número de equipas com alterações por temporada

Olhando para o número total de alterações, na segunda temporada houve um aumento drástico (como se pode ver no gráfico), no entanto, se desconsiderarmos as 5 transferências feitas pelos ASP, que ocorreram no último dia da temporada, temos uma diminuição, portanto, isto reforça a ideia de que as equipas se vão "aguentando" durante o decorrer da temporada, no entanto, assim que isso acontece são poucas as que efetivamente conseguem manter o line-up junto.


Figura 2. Número de alterações por temporada

No entanto, se analisarmos a altura em que decorre a primeira transferência vemos que na segunda temporada o tempo sem alterações é muito maior, isto provavelmente deve-se ao facto de a 1ª e 3ª temporada decorrerem durante o primeiro semestre, altura normalmente marcada por um menor número de torneios para se participar, enquanto que a 2ª temporada decorre no segundo semestre. Olhando para os números  podemos perceber que, provavelmente, as equipas são compostas muito em cima das ligas ao invés de com mais calma e antecedência e, portanto, a altura em que se percebe que um jogador não encaixa no line-up coincide com a fase inicial da liga.


Figura 3. Altura da primeira alteração por temporada

Comentários

É necessário ter o login feito para efectuar um comentário.